Rio de Janeiro – As empresas que recebem empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) geram 29% mais empregos do que as não-financiadas. Segundo o diretor da Área Social e de Crédito da instituição, Élvio Lima Gaspar, o programa de microcrédito produtivo reestruturado pelo BNDES em 2003 apontou um total de R$ 55 milhões em operações contratadas até agosto.

Durante o seminário internacional Desenvolvimento e Vulnerabilidade, promovido pelo Instituto de Economia da  Universidade Federal do Rio de Janeiro, Élvio Gaspar destacou a participação da região Nordeste, com 38% dos desembolsos no ano passado ? a média é de crescimento em 17% dos desembolsos totais do BNDES.

Na área social, o diretor lembrou que o Cartão BNDES amplia o acesso ao crédito para pequenas e médias empresas e que a expectativa é de incremento, uma vez que o limite foi elevado de R$ 100 mil para R$ 250 mil neste ano. Élvio Gaspar informou que até junho passado o total de crédito concedido por meio do cartão somou R$ 1,6 bilhão.

A participação das pequenas e médias empresas nos desembolsos de recursos da instituição cresceu de 20% entre 1999 e 2002, para 30% entre 2003 e 2006. Até maio deste ano, a participação delas atingiu 32% das liberações do BNDES.