São Paulo – As empresas aéreas apresentarão na próxima segunda-feira (13) um plano emergencial para evitar novos problemas nos aeroportos de São Paulo. O compromisso foi assumido nesta terça-feira (7) após reunião entre as empresas aéreas, a Associação de Moradores do Bairro de Moema (SP), o Ministério Público de São Paulo e a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon).

?Nós estabelecemos um prazo e as companhias aéreas vão apresentar um plano emergencial para os próximos feriados, e a gente espera que diminuam os problemas?, disse Leonardo Freire Pereira, do Procon de Guarulhos.

Uma das propostas previstas é de que as companhias aéreas passem a dar assistência aos passageiros que aguardam nos aeroportos já na primeira meia hora de atraso do vôo. ?Isso significa uma evolução na história, porque até então as companhias aéreas entendiam que a assistência que elas deveriam prestar para os passageiros era somente a partir da quarta hora de atraso?, explicou Marli Aparecida Sampaio, diretora-executiva do Procon de São Paulo.

Também está previsto que as empresas abram um canal direto para reclamações e que seja apresentado um plano para redução dos vôos noturnos. De acordo com Lygia Horta, representante da Associação de Moradores de Moema, há um temor de que a medida emergencial de funcionamento até às 1h30 passe a virar uma medida definitiva e prejudique as pessoas que moram próximas dos aeroportos.

?Assim que nós tivermos traçado esse plano, nós vamos entrar em contato com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Infraero e o governo federal para lhes apresentar todo esse plano para ver até onde o governo federal pode atender aos consumidores?, disse a diretora-executiva do Procon-SP.

Os problemas nos aeroportos do país começaram na semana passada, quando os controladores de vôo, sob a alegação de falta de pessoal e excesso de trabalho, decidiram estabelecer uma operação-padrão, aumentando o intervalo entre os pousos e decolagens e reduzindo para 14 o número de aeronaves monitoradas simultaneamente. A operação provocou atrasos nos vôos e uma grande espera de passageiros nos aeroportos de todo o país.

O Procon alertou que os consumidores que se sentirem prejudicados pelos problemas atuais nos aeroportos podem procurar os postos de atendimento do órgão, levando cópia do canhoto do bilhete e dos documentos que comprovem a espera. Há também um link específico para reclamações referentes aos atrasos ou cancelamentos de vôos no site da fundação www.procon.sp.gov.br. De acordo com o Procon, cerca de 60 pessoas já fizeram reclamações sobre os problemas nos aeroportos até o momento.