Um rodeio nada convencional, em que os “bois” são 21 postes e os “peões” 150 funcionários das estatais de energia elétrica, vindas de oito Estados, fora o Paraná. É a sexta edição do Rodeio Nacional de Eletricistas, realizado dentro do XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica (SENDI 2016), em Curitiba. O evento, promovido pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE) foi aberto na noite de sábado com a presença de 20 equipes de todo o Brasil. Hoje ocorreram as atividades de treinamento e amanhã, segunda-feira (7.11), as competições – abertas ao público em geral.

As esquipes terão que realizar tarefas do dia a dia de trabalho dentro das empresas e são compostas de cinco colaboradores. As 3 primeiras equipes colocadas receberão premiação em dinheiro. Quem ficar em primeiro leva R$ 30 mil, em segundo R$ 18 mil e em terceiro, R$ 12 mil. Os dois últimos lugares recebem troféu.

De acordo com Eduardo Otto, do comitê organizador, ganha quem cometer menos falhas. “São dadas 10 tarefas. Quem conseguir concluir em menos tempo, com menos falha, vence”, explica. Segundo Otto, a ideia do rodeio é mostrar as boas práticas de segurança no trabalho.

“Todos têm uma sequência de prazos iguais pra cumprir as tarefas”, explica. Entre elas equipar-se com todos os itens de proteção individual (EPIS) de olhos vendados, retirada de objeto estranho em rede de média tensão, fechamento de grampos de linha viva, instalação de conjunto de aterramento, entre outros.

Todas as atividades fazem parte dos processos de reparação e manutenção da rede elétrica, realizados rotineiramente. “Este é um momento de aperfeiçoar o treinamento de nossas práticas diárias e destacar o trabalho dos eletricistas, que são os profissionais essenciais na área de energia”, salientou o superintendente da Copel, João Silva Santos.

Valderlis da Silva Ramos irá participar pela sexta vez consecutiva da prova, desta vez como padrinho de uma equipe e narrador da prova. Foto: Raquel Tannuri Santana
Valderlis da Silva Ramos irá participar pela sexta vez consecutiva da prova, desta vez como padrinho de uma equipe e narrador da prova. Foto: Raquel Tannuri Santana

A avaliação das equipes leva em conta a perícia técnica, a agilidade e a habilidade dos participantes, além da atenção às medidas de segurança. O evento tem a participação de aproximadamente 150 técnicos de mais de 15 distribuidoras de energia, de Norte a Sul do país. Valderlis da Silva Ramos irá participar pela sexta vez consecutiva da prova, desta vez como padrinho de uma equipe e narrador da prova. “É muito gratificante participar”, ressaltou.

Valorização

A paulista Adriane Aparecida Bedore, juíza da equipe da JF Steel – única equipe de empreiteira participante do evento – diz que o Rodeio é uma forma de valorização dos profissionais do setor elétrico e um momento do fortalecer o sentimento de equipe. O mesmo diz Alessandro de Souza, integrante da equipe da Celesc, de Santa Catarina. “É minha primeira participação em Rodeiro Nacional e meu compromisso é dar o melhor para minha equipe”, declara.

Para José Saldanha, da Cosern Neoenergia, do Rio Grande do Norte, o Rodeio é um evento muito esperado pelas equipes técnicas em todo o Brasil. “A participação é muito gratificante não só pela disputa, mas pela troca de experiências e o conhecimento se que leva”, relata. Da AES Eletropaulo, de São Paulo, Silvio Cesar dos Santos é supervisor e padrinho de sua equipe.

Ex-competidor, ele acredita que o Rodeio “é uma experiência maravilhosa pois é o único evento nacional que destaca o trabalho do eletricista”. “Viemos de longe para este momento de congraçamento e troca de experiências. Mas ninguém está em férias. O Rodeio é muito sério pois trata diretamente de nossa atividade diária”, enfatiza.

Evento conta  com a presença de 20 equipes de todo o Brasil. Foto: Divulgação
Evento conta com a presença de 20 equipes de todo o Brasil. Foto: Divulgação