O deputado cassado Roberto Jefferson, presidente do PTB, voltou à Câmara hoje para prestigiar a posse de companheiros de partido e declarou apoio ao petista Arlindo Chinaglia (SP) na disputa pela presidência da Câmara. Para ele, a eleição de Chinaglia "está ganha". "Meu candidato é o regimental. O regimento diz que o maior partido indica o candidato. O bloco que está formado, com o maior número de deputados, indicou Chinaglia. Eu não gosto de arranjos. Não pode dar outro aborto como o Severino Cavalcanti", afirmou Jefferson, referindo-se ao ex-presidente da Casa.

Autor da denúncia sobre o mensalão, Jefferson insinuou que a prática esteja de volta no segundo mandato do governo. Ele referiu-se ao aumento do número de deputados da bancada governista entre a eleição de outubro e agora. Só o PR (fusão do PL com o Prona) filiou na segunda-feira dez deputados. "Crescendo como o PR está, será que o Waldemar (Waldemar Costa Neto, ex-presidente do PL) tem todo esse poder de sedução?", ironizou Jefferson. Sobre a entrada em bloco dos deputados no PR comentou: "Waldemar é o homem do atacado.