O presidente do CPI dos Bingos, Efraim Morais (PFL-PB) falará logo mais, às 10h30, sobre a posição da comissão a respeito da liminar concedida pelo ministro do STF, ao advogado Eurico Gianelli, desobrigando-o a atender a convocação, marcada para hoje. Esta é a segunda vez que Gianelli falta a uma convocação da CPI. Ele é acusado por representantes da Gtech, de ter adotado posição suspeita, em março e abril de 2003, quando da renovação do contrato das loterias, com a Caixa Econômica Federal.

Na época, Eurico Gianelli era o encarregado do escritório Fischer & Foster, de atender a multinacional Gtech no Brasil, que operacionaliza as loterias da CEF. Está previsto para hoje o depoimento, na CPI, do advogado Rogério Buratti, acusado de ter cobrado R$ 6 milhões para intermediar a renovação do contrato da Gtech com a Caixa.