A conta corrente dos 16 países que utilizam o euro como moeda teve déficit de 8,1 bilhões de euros em janeiro, em comparação com o superávit revisado de 2,3 bilhões de euros registrado em dezembro, segundo informou hoje o Banco Central Europeu (BCE). Analistas esperavam déficit de 5,5 bilhões de euros.

O grande responsável pelo resultado foram as importações, que subiram de 108,3 bilhões de euros em dezembro para 115,5 bilhões de euros em janeiro. As exportações tiveram aumento menor, de 112,6 bilhões de euros para 113,2 bilhões de euros, de acordo com o BCE. Em relação a janeiro do ano passado, as exportações foram 6,7% mais altas, enquanto as importações foram 6,0% maiores.

O BCE informou ainda que o superávit em serviços da zona do euro caiu de 4,8 bilhões de euros em dezembro para 2,0 bilhões de euros em janeiro, enquanto o déficit em transferências correntes subiu de 5,1 bilhões de euros para 6,5 bilhões de euros. Os dados são ajustados sazonalmente e pelo calendário.

Balança comercial

Os 16 países que utilizam o euro como moeda registraram um déficit comercial combinado de 8,9 bilhões de euros em janeiro, após o superávit revisado de 4,1 bilhões de euros em dezembro de 2009. Os dados foram divulgados hoje pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. Originalmente, a Eurostat havia informado que o superávit em dezembro tinha sido de 4,4 bilhões de euros.

A Eurostat também informou os dados da balança comercial de todo o ano de 2009. Os números mostram que a zona do euro teve superávit de 21,8 bilhões de euros, em comparação com o déficit de 54,5 bilhões de euros em 2008. Em janeiro do ano passado, a zona do euro teve déficit de 12,1 bilhões de euros. Janeiro é, tradicionalmente, um mês fraco para as exportações da zona do euro. Neste ano, a venda de bens para compradores de fora da região caiu para 97,8 bilhões de euros, ante os 112,1 bilhões de euros de dezembro.

No entanto, como a demanda por energia é geralmente alta em janeiro, as importações não caem no mesmo ritmo. Neste ano, elas recuaram apenas levemente, para 106,8 bilhões de euros, ante os 108,0 bilhões de euros registrados em dezembro. Em relação a todo o ano de 2009, os números refletem os menores preços da energia, segmento em que o déficit diminuiu de 318 bilhões de euros em 2008 para 199,8 bilhões de euros. Já o superávit no comércio de bens manufaturados caiu de 279,3 bilhões de euros para 223,9 bilhões de euros. As informações são da Dow Jones.