O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, disse neste sábado que o governo está pronto para “acelerar” as reformas econômicas, se necessário. A declaração é feita após uma semana de fortes preocupações nos mercados financeiros. Zapatero acrescentou que ele não se “desviará da austeridade”, um dia após descartar um pacote de ajuda para a Espanha no estilo do que a Irlanda deve receber.

“Se for necessário acelerar as reformas, nós faremos isso”, afirmou Zapatero a repórteres, após um encontro com líderes empresariais. A política econômica do governo, segundo o premiê, está baseada na austeridade, reestruturando o sistema financeiro e realizando reformas estruturais.

Zapatero disse que o governo pretende realizar essas reformas estruturais “o mais rápido possível”, para ser “mais produtivo e aumentar a competitividade”.

A possibilidade de um pacote de resgate custoso para a economia espanhola, que é duas vezes maior que a de Irlanda, Grécia e Portugal somadas, tem causado temores generalizados. Investidores exigem taxas de retorno cada vez mais altas para assumir o risco de comprar títulos da dívida espanhola, o que se soma aos problemas enfrentados por Madri para levantar mais dinheiro.

A economia da Espanha foi duramente atingida pela bolha no setor imobiliário e pela crise econômica global em 2008 e 2009. Agora, o país sofre com uma taxa de desemprego próxima de 20%, somada a um crescimento econômico nulo no terceiro trimestre. As informações são da Dow Jones.