Ano novo, preço novo. A velha prática de aproveitar a virada da folhinha para subir preço voltou neste início de ano. Em janeiro de 2014, a chamada inflação gregoriana atingiu especialmente os serviços e uma gama variada deles: da diária do encanador ao transporte escolar, passando pela consulta médica, entrada de cinema, manutenção do jazigo, por exemplo.

Um levantamento feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) com base no Índice de Preços ao Consumidor (IPC) mostra que de 18 itens, cujos preços tiveram reajuste praticamente zero em dezembro do ano passado e tiveram altas expressivas em janeiro deste ano, 17 são serviços. Dessa lista de 17 serviços, 11 deles registraram altas no mês passado mais expressivas do que em janeiro de 2013.

A mensalidade do transporte escolar, por exemplo, subiu 6,34% no mês passado, o dobro do reajuste de janeiro do ano passado (3,12%). Em dezembro de 2013, o preço do transporte escolar ficou estável, aponta a Fipe.

Trajetória semelhante ocorreu com os preços da consulta médica e da diária do encanador. A consulta médica subiu 2,2% em janeiro deste ano, ante alta de 1,67% em janeiro do ano passado. No caso da diária do encanador, o aumento foi de 2,46% no mês passado, enquanto a variação foi de 0,49% em janeiro de 2013.

A inflação alta, mantida acima do centro da meta de 4,5% nos últimos quatro anos, entre 2010 e 2013, leva os agentes econômicos a se protegerem de perdas e a reajustarem preços, explica o coordenador do IPC-Fipe, Rafael Costa Lima. “A expectativa de uma inflação maior tende a referendar o reajuste de preço e os prestadores de serviços aproveitam a virada do ano. Isso realimenta a alta de preços”, afirma o economista. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.