As vendas no varejo caíram 1,5% nos Estados Unidos em setembro, informou o Departamento do Comércio, inferior à queda de 2,1% prevista pelos economistas. Mas o dado de agosto foi revisado para pior. As vendas caíram 2,2% em agosto, segundo dado revisado. Anteriormente, o Departamento do Comércio havia estimado aumento de 2,7% das vendas em agosto. Excluindo as vendas no setor de automóveis, as vendas do varejo subiram 0,5% em setembro, superando a previsão dos economistas de aumento de 0,3%.

As vendas em postos combustíveis subiram 1,1% em setembro; excluindo as vendas de gasolina e automóveis, as vendas entre outros varejistas subiram 0,4% em setembro, segundo mês seguido de alta. As vendas de móveis cresceram 1,4% e as vendas de materiais para construção e de jardinagem caíram 0,2%. As vendas de bebidas subiram 0,7% e as de eletrônicos e eletrodomésticos ficaram estáveis. As vendas de roupas subiram 0,5% em setembro. As vendas de produtos para a saúde e cuidados pessoais aumentaram 0,8%; vendas nos restaurantes e bares cresceram 0,2%. As vendas pelo correio e pela internet caíram 0,1% em setembro.

Preços de importações

Os preços de produtos importados nos Estados Unidos aumentaram 0,1% em setembro, na sexta alta dos últimos sete meses, e os preços mais elevados de produtos não ligados a petróleo ofuscaram o declínio nos custos de importação de combustível, informou o Departamento do Trabalho. Economistas esperavam alta de 0,3%. Os dados de agosto foram revisados para aumento de 1,6%, de alta de 2%.

Apesar do aumento, os preços de importados continuam 12% abaixo do nível de setembro de 2008. Os preços de importação de petróleo recuaram 1,8% em setembro ante agosto, por conta dos custos menores de petróleo bruto e gás natural. Excluindo petróleo, os preços de importados subiram 0,6% em setembro ante agosto, mas caíram 4,1% ante setembro do ano passado. As informações são da Dow Jones.