Divulgação
Divulgação

O resultado confirma a previsão de que 2007 deverá ser o ano de melhor desempenho industrial desde 2002.

O faturamento da indústria paranaense cresceu 9,21% em outubro em relação a setembro. No acumulado dos 10 primeiros meses do ano, o crescimento é de 11,22%, em comparação a igual período de 2006. Os dados constam da pesquisa Indicadores Conjunturais, divulgada nesta segunda-feira (03) pelo Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). 

O resultado confirma a previsão de que 2007 deverá ser o ano de melhor desempenho industrial desde 2002.  A expansão vem sendo determinada pela boa performance da  agroindústria.  É que a expressiva safra 2006/2007, as boas perspectivas para a próxima e o não aparecimento de problemas fitossanitários permitiram que a indústria de ?Produtos Alimentícios e Bebidas? aumentasse suas vendas nestes primeiros dez meses do ano em 16,72%, em relação a igual período de 2006.

O gênero ?Petróleo e Produção de Álcool? também teve um bom  desempenho, com aumento de 3,34%, em razão  de investimentos na área de petróleo e de aumento da área plantada (+12,8%) e da produção (+24,4%) da cana-de-açúcar. Por outro lado, a oferta abundante de crédito para aquisição de veículos tem aumentado a demanda por automóveis, expandindo as vendas do gênero ?Fabricação e Montagem de Veículos Automotores? em 23,12%.  Estes três setores contribuíram, respectivamente, com 6,87%, 0,44% e 2,65%. Somados, representam 9,96% pontos percentuais dos 11,22% da expansão registrada por toda a Indústria de transformação paranaense nos primeiros dez meses do ano. A participação relativa nos dez primeiros meses de 2007 de ?Produtos Alimentícios e Bebidas? é 44,77%, a de ?Petróleo e Produção de Álcool? é 14,36% e a de ?Fabricação e Montagem de Veículos Automotores? é 12,49%.

No acumulado dos primeiros dez meses deste ano, os três gêneros que apresentaram maior crescimento foram: Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios (+24,52%), Máquinas e Equipamento (+23,83%) e Fabricação e Montagem de Veículos Automotores (+23,12%). Por outro lado, nesta base de comparação, os gêneros com maiores reduções foram: Material Eletrônico e de Comunicações (-32,22%), Impressão, Edição e Reprodução de Gravações (-26,73%) e Produtos Têxteis (-22,29%).

Especificamente no mês de outubro, o desempenho positivo é resultado da elevação das vendas em 14 dos 18 gêneros pesquisados.  Os três gêneros com maior participação relativa na indústria paranaense foram Fabricação e Montagem de Veículos Automotores (+19,85%) pelo mercado receptivo aos novos modelos de veículos e aumento de vendas de caminhões e ônibus; Petróleo e Produção de Álcool? (+17,43%) ? em função do maior número de dias úteis em outubro, aumento da demanda por fertilizantes e exportações de álcool; Produtos Alimentícios e Bebidas (+3,30%) ? que teve bom momento em decorrência do aumento da oferta de matérias-primas do campo que repercutiu positivamente na agroindústria de alimentos.

Os gêneros que apresentaram os maiores aumentos em outubro foram: Móveis e Indústrias Diversas (+31,17%), pelo aumento das vendas sazonais de fim de ano; e Máquinas e Equipamentos (+21,15%), em função do aumento de vendas de máquinas agrícolas, balcões frigoríficos para supermercados e outras máquinas. Os gêneros que tiveram as maiores reduções em outubro foram: Material Eletrônico e de Comunicações? (-8,82%); Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (-6,31%) ? ambos com declínio de encomendas; e Couros, Artefatos de Couro e Calçados (-4,24%) pela diminuição de pedidos de exportação.

Emprego e salários- Em relação ao nível de emprego, nove dos dezoito gêneros pesquisados alcançaram resultados positivos e os outros nove foram negativos no mês de outubro, com um impacto líquido positivo de 1,62%. O emprego diretamente ligado à produção subiu (+2,16%).

O resultado dos primeiros dez meses de 2007 contra igual período de 2006 apresenta aumento de 1,92% no pessoal empregado total e de 0,82% no pessoal empregado na produção. Os maiores aumentos em outubro se deram nos gêneros Produtos Têxteis (+29,27%) ? aumento sazonal devido à safra da seda; Produtos de Metal (+2,32%) ? incremento de pedidos; e Artigos de Borracha e Plásticos (+2,03%) ? ampliação de pedidos. As maiores quedas no mês de outubro se deram em Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (-2,65%) ? redução da demanda; Material Eletrônico e de Comunicações (-1,17%) ? diminuição de pedidos; e em Produtos de madeira? (-0,67%) ? dificuldade de competir no exterior devido à atual taxa de câmbio.

A massa salarial líquida apresentou aumento de 2,16% em outubro em comparação a setembro devido a pagamentos antecipados da primeira parcela de 13º salário. As horas trabalhadas aumentaram 3,43%, em decorrência do aumento do número de dias úteis de outubro (22) em relação a setembro (20). A utilização da capacidade instalada subiu um ponto percentual, situando-se em 81%.