As vendas de materiais de construção no varejo recuaram 7% em outubro ante setembro, de acordo com pesquisa divulgada hoje pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco). O levantamento, realizado em parceria com o Ibope Inteligência, mostra que dos dez segmentos monitorados apenas um apresentou crescimento – o de telhas e caixas d’água, que subiu 1,5%. Todos os demais apresentaram queda, com destaque para o cimento, com redução de 10%.

No acumulado do ano, as vendas no varejo subiram 9% e, nos 12 meses encerrados em outubro, aumentaram 10%. Para 2010, a Anamaco prevê um crescimento de 11% nas vendas em relação a 2009, quando o setor bateu recorde de faturamento, de R$ 45,04 bilhões. Apesar do recuo informado em outubro, a associação diz estar confiante na recuperação das vendas no próximo mês. “Apesar destes resultados, esta mesma pesquisa traz uma forte percepção de que novembro deverá bater todos os recordes de vendas, segundo o grau de otimismo apresentado no estudo pelos comerciantes”, afirmou em nota o presidente da entidade, Cláudio Conz.

Outro fator que deve contribuir para uma melhora das vendas nos próximos dois meses é a proximidade do fim da desoneração do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) nos materiais – que, por enquanto, deve vigorar até 31 de dezembro. Se esse prazo for mantido, os produtos que tiveram benefício da desoneração devem ficar 8% mais caros a partir de 1º de janeiro. Conz lembra que a chegada do fim do ano, com o 13º salário e a aproximação das festividades, devem aquecer o setor.