A Varig, mesmo vivendo uma situação de recuperação judicial, voltou, em julho, a ser a segunda companhia aérea na aviação domestica brasileira. Ela superou a Gol – considerada uma nova ainda no setor, pois deu início às suas operações em 2001 – e reassumiu o posto, depois de tê-lo perdido por três meses seguidos.

No mês passado, a Varig deteve 26,46% sobre o total de passageiros transportados nos vôos domésticos, contra a participação de 26,42% da Gol. Em junho, a Gol detinha 28,77% do mercado doméstico, contra 25,97% da Varig.

A primeira colocada do ranking doméstico continha sendo a TAM, que em julho ampliou a vantagem sobre as segunda e terceira colocadas. No mês passado, a TAM deteve 44,6% de participação sobre o total de passageiros transportados nos vôos domésticos.

Com esse desempenho, a vantagem da TAM sobre a Varig (segunda colocada no mercado doméstico) foi de 18,14 pontos. Em junho, a distância da TAM sobre a segunda colocada – na época, a Gol – era de 13,78 pontos.

No acumulado de janeiro a julho, entretanto, a Varig ainda está à frente da Gol, com 28,32% do total de passageiros pagantes transportados nas rotas domésticas. A Gol ficou com 26,24%. A TAM também lidera o ranking de passageiros pagantes transportados no mercado doméstico, com 43,03% de participação.

As três companhias responderam por 97,5% de todos os passageiros transportados em rotas domésticas de janeiro a julho, que foi utilizado por 18,691 milhões de pessoas.