A dificuldade da Vale para obter mão de obra, licenciamentos ambientais, matéria-prima e equipamentos levou o grupo a divulgar atrasos em projetos e informar que poderá não cumprir o orçamento de investimentos para este ano na totalidade. Em teleconferência, executivos divulgaram que, até agora, a expectativa é que os investimentos fiquem mais perto de US$ 20 bilhões no ano do que dos US$ 24 bilhões inicialmente estipulados.

“Vemos que é muito difícil conseguir manter prazos em todos os projetos”, disse o diretor executivo de marketing, vendas e estratégia da companhia, José Carlos Martins. Apesar do lucro líquido recorde de R$ 11,3 bilhões no primeiro trimestre, impulsionado por preços do minério de ferro mais elevados e pelos ganhos com a conclusão da venda de ativos de alumínio, o impacto das chuvas sobre as operações de Carajás fez com que o resultado operacional da empresa ficasse abaixo do esperado pelo mercado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.