O presidente da Vale, Murilo Ferreira, disse que a companhia confia no Brasil e manterá seus investimentos, apesar do cenário mundial de incertezas. “Temos um processo muito difícil mundialmente, mas apesar desse cenário de tantas incertezas, continuamos confiando muito no Brasil e temos aqui nossa principal base de operações”, afirmou, ao participar nesta quarta-feira, 19, de audiência pública nas comissões de Desenvolvimento Regional e Turismo e de Meio Ambiente do Senado. “Temos uma visão positiva, longe do viés de desânimo, talvez por estarmos em 30 países e por eu viajar alucinadamente, visitando nossas operações e clientes”, acrescentou.

Ferreira ressaltou que o déficit em transações correntes no Brasil no ano passado foi de 3,7% do PIB, dos quais 2,9% foram cobertos com Investimento Estrangeiro Direto (IED). “Mesmo na área em que o Brasil tem encontrado mais dificuldade, que é o financiamento do déficit em conta corrente, tivemos financiamento de 2,9 % dos 3,7% com investimentos. Alguém está investindo no Brasil para financiar esse déficit”, afirmou.

“Isso traz muita esperança para nós e confirma a vocação da Vale de ser a empresa privada que mais confia e investe no Brasil”, acrescentou. O executivo disse ainda que a Vale contribui de forma “ostensiva” com a parte positiva da balança comercial brasileira.

Há 11 dias, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o presidente do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), Pedro Passos, afirmou que os empresários brasileiros não confiam mais no governo. Ele atribuiu o problema à falta de direção e ao ambiente econômico prejudicado.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, desqualificou as críticas do executivo, que é sócio-fundador da Natura. Pimentel acusou Passos de militar a favor de um projeto político de oposição. Guilherme Leal, também sócio-fundador da empresa, foi candidato a vice-presidente da chapa liderada por Marina Silva nas eleições de 2010.