A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, elogiou nesta quinta-feira a resolução de uma crise política em Portugal que ameaçou derrubar o governo local, mas se recusou a confirmar notícias de que uma visita de inspetores da troica a Lisboa, prevista para a próxima semana, será adiada por causa dos problemas recentes.

Simon O’Connor, porta-voz do comissário de Assuntos Econômicos e Monetários da UE, Olli Rehn, disse que a comissão tem confiança nos procedimentos democráticos de Portugal e está ansiosa para ajudar o país a deixar seu programa de ajuda.

O programa, de 78 bilhões de euros, vigora até junho de 2014. O alto custo dos empréstimos tomados por Portugal, agravado pela crise política, levantou dúvidas sobe a capacidade do país de continuar se financiando depois que parar de receber ajuda da troica, formada pela comissão, pelo Banco Central Europeu (BCE) e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Uma visita da troica a Lisboa está prevista para o próximo dia 15, mas O’Connor não confirmou se a missão foi mantida. Segundo a imprensa portuguesa, o governo pediu que a visita fosse adiada porque os preparativos estariam atrasados em função da crise. Fonte: Dow Jones Newswires.