Os economistas da União Europeia preveem que a economia da zona do euro terá contração pelo segundo ano seguido em 2013, o que seria a terceira contração anual nos últimos cinco anos. Segundo projeções divulgadas pela Comissão Europeia, o braço executivo da UE, há poucas esperanças de que uma redução das tensões no mercado financeiro da região forneça impulso para a economia real em breve.

A UE prevê que a economia da zona do euro terá contração de 0,3% neste ano e crescerá 1,4% em 2014. No entanto, nos últimos anos as projeções da UE têm sido muito otimistas. Há apenas seis meses a UE previa que a zona do euro teria expansão de 0,1% em 2013. A economia mais ampla da UE, que deverá ter 28 membros depois da entrada da Croácia mais tarde neste ano, provavelmente crescerá 0,1% neste ano e 1,6% no próximo.

No geral, a Comissão calcula que a zona do euro terá um déficit orçamentário médio abaixo de 3,0% em 2013 pela primeira vez desde 2008. O déficit médio deverá ficar em 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB) e em 2,7% em 2014.

A Comissão também comentou sobre o desemprego na zona do euro e disse que a queda nos gastos das empresas, dos consumidores e dos governos nacionais vai continuar provocando aumento no número de desempregados. A estimativa da UE é de que a taxa de desemprego na zona do euro atinja o pico de 12,2% em 2013. As informações são da Dow Jones.