A Comissão Europeia espera reduzir a taxa de juros cobrada no empréstimo emergencial concedido à Irlanda, mas ainda não há nenhuma decisão a respeito, afirmou neste sábado o comissário europeu para assuntos econômicos e monetários, Olli Rehn. “Esperamos uma definição para breve”, afirmou.

A rede britânica BBC informou hoje em seu site que o juro cobrado da Irlanda seria reduzido. O país paga, atualmente, 6% ao ano pelos 67,5 bilhões de euros emprestados pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

A BBC não especificou o tamanho do eventual corte nos juros ou se a Irlanda fará alguma concessão para consegui-lo, como alterar sua taxa de juros corporativa. Outros membros da UE, como França e Alemanha, têm reclamado que essa taxa, atualmente em 12,5%, fere a competitividade no bloco e deve ser elevada em troca de ajuda adicional do bloco. A rede britânica informou, citando fontes, que a redução do juro dos empréstimos será ratificada antes da reunião de ministros de Finanças da UE marcada para 17 de maio.

Logo depois do informe da BBC, um porta-voz do Ministério de Finanças da Irlanda disse que o país ainda negocia a questão com a Comissão Europeia e reiterou não haver decisão a respeito. O novo governo de coalizão irlandês que assumiu em março, liderado pelo primeiro-ministro Enda Kjenny, prometeu conseguir uma redução nos juros pagos pelo país. Analistas consideram que a taxa paga é pesada e pode comprometer os esforços da Irlanda para sair da crise. As informações são da Dow Jones.