São Paulo (AE) – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, disse ontem que um ponto positivo da turbulência externa que afetou o mercado financeiro brasileiro nesta semana foi mostrar que o Brasil está preparado e resistente às crises internacionais. Na avaliação do ministro, graças ao volume de reservas conseguido com as contas externas, a turbulência no mercado financeiro não teve qualquer impacto sobre o comportamento das empresas e nem sobre as exportações. ?O Brasil está muito mais preparado do que no passado para enfrentar problemas externos?, afirmou.

Furlan descartou que a valorização do dólar tenha tido qualquer impacto positivo nas exportações. Segundo ele, comércio exterior não é uma compra de supermercado, em que o consumidor passa na porta e decide ou não se vai comprar algum produto. ?O comércio exterior requer planejamento e infra-estrutura. Esse espasmo do mercado não tem qualquer efeito concreto a médio prazo?, disse.

O ministro evitou afirmar que o real parta agora para um novo ponto de equilíbrio, mais favorável às exportações. Para Furlan, é necessário esperar uma acomodação do mercado que, aí sim, dirá se o câmbio terá um novo patamar de equilíbrio. Ele reiterou que o governo aguardará a volta da estabilidade do mercado financeiro para anunciar medidas de flexibilização cambial, o que deve acontecer em, no máximo, duas semanas. O ministro participou ontem à tarde do encerramento de um seminário sobre internacionalização de empresas.