Representantes do governo do Paraná, da Força Sindical e da TMT Motoco do Brasil Ltda., considerada a maior empregadora privada de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, voltaram a se reunir ontem no Palácio Iguaçu em nova iniciativa para salvar os 860 empregos diretos e outros 1,2 mil indiretos oferecidos pela empresa, que atravessa crise financeira.

?Começamos a reunião com uma boa notícia, que foi o fato de a Justiça ter acatado o plano de recuperação econômica apresentado pela empresa?, disse ao abrir a reunião o advogado Mário Lobo, secretário especial do governo do Paraná. ?Mas é uma pena que os entendimentos mantidos pela matriz da empresa, nos Estados Unidos, para a renovação dos contratos de fornecimento de motores não evoluíram nada?, lamentou.

Para o secretário estadual da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho, a renovação desses contratos de fornecimento de motores é vital para que a empresa continue operando, tendo em vista que exporta cerca de 95% de sua produção. ?A sugestão que damos neste momento é que a empresa não fique tão à mercê do mercado externo, que oscila muito em função do dólar. É preciso buscar alternativas no mercado interno.?