Trabalhadores da Volkswagen-Audi, em São José dos Pinhais, realizaram ontem uma paralisação de 24 horas contra o plano de reestruturação da empresa, que inclui demissões. A greve de advertência envolveu cerca de 4,2 mil funcionários do Paraná, além de trabalhadores das unidades de Taubaté e São Bernardo do Campo, em São Paulo. Em um único dia de paralisação, cerca de 2,7 mil veículos deixaram de ser produzidos; 810 deles na unidade de São José dos Pinhais. A previsão é retomar a produção hoje, a partir das 5h.

Reunido com um grupo de 20 metalúrgicos, o governador Roberto Requião declarou ontem apoio às propostas dos trabalhadores da montadora. ?O governo do Paraná vai apoiar qualquer tipo de proposta desde que sensata, que garanta os empregos dos paranaenses e que mantenha a unidade instalada em São José dos Pinhais?, disse o governador.

Segundo Requião, o governo do Estado pode garantir, através de projeto de lei, que os incentivos fiscais repassados às montadoras estejam vinculados à manutenção dos postos de trabalho. ?Essa é uma proposta que temos que estudar de uma forma melhor junto com os deputados estaduais, mas qualquer incentivo fiscal, até pelo porte do que foi dado, tem que ter como contrapartida a garantia dos empregos aos paranaenses.? De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, cerca de 5,7 mil metalúrgicos da Volkswagen devem ser demitidos até 2008 – 1,4 mil deles do Paraná.

Ontem pela manhã, cerca de 250 trabalhadores realizaram uma passeata pela Rua XV de Novembro, no centro de São José dos Pinhais. Em Curitiba, estava previsto um protesto na Boca Maldita, a partir das 15h30, mas foi cancelado. Segundo o sindicato, como os trabalhadores do turno da tarde souberam da aprovação da greve durante assembléia da manhã, nem foram até a fábrica e por isso não houve mobilização.

Via Anchieta

Em São Bernardo do Campo, no Grande ABC, o protesto reuniu cerca de seis mil funcionários. Por volta das 8h30, eles saíram da fábrica em direção ao centro da cidade e às 9 horas o grupo passava pela Anchieta, interditando totalmente a via, na altura do km 23, na pista marginal norte, sentido capital. Segundo a Ecovias, empresa que administra a rodovia, os veículos estavam sendo desviados para a pista central. (Lyrian Saiki)