O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, não quis detalhar qual seria o período exato em que o BC estaria disposto a conduzir uma trajetória de aperto na política monetária como forma de conter o avanço da demanda no mercado doméstico e diminuir o ritmo de avanço da inflação. Tombini apenas reforçou que seria “um período suficientemente prolongado”, termo já usado pelo Comitê de Polícia Monetária (Copom) ao explicar qual seria o tempo em que o BC manteria trajetória de alta na taxa básica de juros (Selic).

“O Copom do BC falou em um período ‘suficientemente prolongado’. Para isso, nós temos reuniões de seis em seis semanas, para avaliar esta política e ver quais os próximos passos a serem dados no sentido de assegurar a inflação no Brasil convergir para o centro da meta (4,5%) em 2012”, afirmou. Ele participou do 2º seminário de metas de inflação, realizado hoje pelo BC no Rio.