Após um dia de destruição da portaria do jornal Diário do Nordeste e da agressão à jornalista Maisa Vasconcelos, da TV Diário, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF 5) determinou nesta quarta-feira a volta ao trabalho dos operários da construção civil da Região Metropolitana de Fortaleza. Cerca de 500 mil paralisaram, há 24 dias, 450 obras. Eles já aceitaram um reajuste de 8% mais cesta básica no valor de R$ 50,00. Brigam, no entanto, para não ter descontados do salário os dias em que ficaram de braços cruzados pela greve.

O Tribunal estabeleceu uma multa de R$ 50 mil por dia de descumprimento à determinação, que deverá ser paga pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza. O Sindicato diz que os operários só voltam ao trabalho se os dias parados forem abonados. O Sindicato da Indústria da Construção Civil quer o cumprimento da determinação do TRF 5 e não aceita negociar os dias parados.