Os veranistas que quiserem um bom imóvel para passar o Réveillon no litoral do Paraná devem se apressar para conseguir um local satisfatório. A dica é das próprias imobiliárias que negociam o aluguel desses imóveis. Restam de 20 a 40% dos imóveis para alugar.

Em comparação com o ano passado, os corretores calculam que há cerca de 60% imóveis a menos disponíveis para locação. “Com as enchentes em Santa Catarina, no verão de 2008, muitas pessoas optaram pelo litoral paranaense, principalmente moradores das regiões de Ponta Grossa e Guarapuava. E muitos dos que deixaram o imóvel para locar no ano passado não fizeram isso agora”, avalia Armando Filho, da Corretora Imobiliária Ideal, da Praia de Leste.

Mesmo com menos imóveis e com reajustes de cerca de 15% no aluguel, a percepção dos profissionais do setor é de que a procura por imóveis aumentou em relação ao ano passado. Na C.A. Imóveis, o aumento tem sido de cerca de 30%.

“Percebemos que muitas pessoas do Paraná que não conheciam as praias do Estado optaram por um imóvel daqui em 2008, por causa do que aconteceu em Santa Catarina, e estão repetindo a escolha neste ano”, afirma a proprietária da C.A. Imóveis, Ruth Teresinha Jung.

Além do tradicional local mais procurado pelos veranistas, a praia central de Guaratuba, este ano uma opção acabou surpreendendo os corretores. “Coroados costumava ser até um pouco rejeitada, por ficar distante do centro, e este ano está sendo bem procurada”, conta Jung.

Antes de alugar um imóvel, o Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor do Paraná (Procon-PR) orienta que é fundamental fazer uma pesquisa de preço e visitar o imóvel antes de fechar o negócio para ver se ele corresponde às expectativas.

Escolhido o imóvel, para evitar aborrecimentos, a indicação do Procon-PR é de que seja feito um documento no qual constem as condições gerais do imóvel, a lista dos móveis e utensílios existentes e o estado em que eles se encontram. Esse documento deve ser anexado ao contrato e assinado por ambas as partes.

Se você tiver sugestões ou dúvidas escreva para economia@oestadodoparana.com.br.