Ao chegar na tarde desta quarta-feira, 8, ao seu gabinete na vice-presidência da República, o presidente em exercício, Michel Temer, tentou minimizar os mais recentes números da inflação. Conforme divulgou nesta quarta-feira, 8, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumula altas de 6,17% no ano e de 8,89% em 12 meses, este último o maior índice desde 2003. “São coisas cíclicas. São variações e não é sem razão que estão sendo feitos os ajustes econômicos e fiscais, precisamente para evitar fatos como este”, disse Temer.

O presidente em exercício garantiu não ter se “assustado” com a nova alta do índice. O IPCA ficou em 0,79% em junho, ante 0,74% em maio. Para ele, a subida da inflação foi “natural”, e reiterou que o governo está trabalhando para reduzi-la.

Michel Temer lembrou que as medidas de ajuste fiscal estão avançando no Congresso e que, agora, “só falta votar” o fim das desonerações em diversos setores no Senado. “Tenho a impressão que quando isso for aplicado, vai colaborar pra estabilizar, inclusive, o tópico da inflação”, comentou. Mesmo reconhecendo que a situação econômica está difícil, o presidente Temer disse que o cenário irá melhorar. “Está difícil, mas vai ficar mais fácil”, comentou.