A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) autorizou reajuste médio para o telefone de 4,35% em 1.º de setembro e outro de 4,17% em 1.º de novembro. Somando-se os dois aumentos, a conta ficará 8,7% mais cara, segundo definição da agência.

Nesse ano, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) restabeleceu o IGP-DI como indexador. Com isso, as empresas teriam direito a um aumento extra de 10,9%, segundo a agência. A Anatel fez um acordo com as teles para reduzir o percentual. Esse índice será aplicado às tarifas em cima dos 6,89% em vigor desde o início de julho. Nesse caso, o aumento se referia ao reajuste contratual de 2004.

Serviços

A assinatura residencial e pulso terão um aumento médio de cerca de 3,35% em setembro e 3,24% em novembro, totalizando 6,7%. O cartão telefônico para orelhão terá aumento de 5,88%, dividido em parcelas de 2,94% e 2,86%.

As tarifas de longa distância nacional (DDD) e longa distância internacional (DDI) sobem 10,9% (5,45% e 5,17%). O percentual aplicado por cada operadora de telefonia a cada item será divulgado até 48 horas antes da data do reajuste.