A inflação oficial do País, o IPCA medido pelo IBGE, registrou alta de 0,2% em julho, depois de uma deflação de 0,15% em junho. No ano, o IPCA acumula alta de 6,85% e, nos últimos 12 meses, de 15,43%.

As tarifas de telefonia fixa foram as principais responsáveis pela alta. O impacto do aumento neste mês foi de 9,03% na conta de telefone, e correspondeu a 0,27 ponto percentual da inflação do mês. Ou seja, sem o aumento da telefonia, haveria deflação novamente. A energia elétrica também pressionou a inflação e subiu 2,06% (uma contribuição de 0,09 ponto para a taxa).

Gasolina, álcool e alimentos seguraram os preços em julho, com quedas de 2,74%, 10,28%; e 0,67%, respectivamente.

A maior alta de preços entre as 11 áreas pesquisas foi apurada em Belo Horizonte (0,45%). Fortaleza apresentou deflação – a única do país – de 0,05%. São Paulo teve inflação de 0,26%.

O INPC – que mede a inflação para as famílias de renda mais baixa, de até oito salários mínimos? subiu 0,04% em julho, contra deflação de 0,06% no mês anterior.

O IPCA mede a inflação das famílias com renda de 1 a 40 salário mínimos.