Empresas que querem exportar seus produtos e têm barreiras técnicas encontram no Instituto de Tecnologia do Paraná – Tecpar o apoio necessário através do Progex – Programa de Apoio Tecnológico à Exportação. Em um ano de funcionamento do programa, mais de 70 empresas foram atendidas. O último resultado obtido foi um acordo firmado com o Sindicato da Indústria de Mármore e Granito do Paraná – Simagran/PR para melhorar o processo produtivo de 13 marmorarias paranaenses.

De acordo com o coordenador do projeto Simagran Paraná Export, Daniel Fraxino, a expectativa é chegar a um faturamento de cerca de US$ 2 milhões em três anos de trabalho. “Participamos em dezembro de uma feira no Canadá e já temos algumas negociações sendo feitas”, diz Fraxino, completando que essas empresas não teriam condições de exportar isoladamente. O sindicato montou um grupo com 13 marmorarias e recebe apoio da Agência de Produção para Exportação – Apex, do governo federal, para desenvolver o projeto. Toda a parte de adaptação do produto ao mercado externo quanto à melhoria da qualidade, atendimento às normas técnicas internacionais, design e embalagem fica a cargo do programa do Tecpar.

O Progex – Programa de Apoio Tecnológico à Exportação – foi criado pelo governo federal para facilitar o acesso de empresas brasileiras, principalmente as pequenas e médias, ao mercado externo. É coordenado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, conta com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos – Finep e tem suas sedes nos institutos de pesquisa estaduais.

Pionerismo

A inclusão das pequenas marmorarias no mercado internacional foi o objetivo da direção do sindicado desde o começo das negociações com o governo federal para desenvolver ações que ajudassem o setor. “O governo começou a acompanhar o sucesso do programa de exportação a partir da industrialização do setor, que inicialmente trabalhava com o granito em forma de bloco, e apoiou nossas idéias”, explica o vice-presidente administrativo-financeiro da Associação Brasileira das Indústrias Ornamentais, Ivo Zagonel Júnior. De acordo com ele, o convênio com o sindicato paranaense, assinado em janeiro de 2003 com a Apex, foi o primeiro firmado no Brasil o que fez dos paranaenses pioneiros na área. Para Zagonel, a iniciativa só está dando certo pela união, “é a força do grupo que faz tudo acontecer”, afirma.