Apesar da grande expectativa pela chegada do 5G no Brasil, a estimativa das operadoras é de que o sistema chegue ao país somente em 2021, já que o leilão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está previsto para ser realizado no primeiro semestre de 2020 e a implantação da rede para comercialização deve demorar cerca de um ano a mais, mas deve chegar com tudo, prometendo internet com velocidade até dez vezes superior do que o 4G. Enquanto isso, os testes continuam.

A TIM, por exemplo, está realizando estudos em Florianópolis, em parceria com a Huawei e a Fundação CERTI, e promoveu uma demonstração, nesta quarta-feira (26), de como vai funcionar a rede quando for comercializada no Brasil, além de outras funcionalidades do 5G, como realidade aumentada e chamadas holográficas. Confira no vídeo com Daniel Lopez Dias, Gerente de produto da Huawei, com a demonstração de como vai funcionar a rede 5G em celulares:

De acordo com o diretor de engenharia da TIM Brasil, Marco di Costanzo, um dos grandes diferenciais dos testes realizados pela operadora, em comparação às concorrentes, é que trata-se de uma rede real. “Não é um teste feito dentro de um laboratório, é uma rede ‘viva’, pronta para uso”, anunciou. Outra diferença em relação a outros testes é pensar não só no consumidor final, mas também em empresas e indústrias, em especial os setores de agronegócios e transportes (incluindo veículos conectados e automação de estacionamento). Por isso a escolha da CERTI para receber os estudos. “Aqui, temos uma grande gama de pesquisas, nas áreas de saúde, comunicação, energia, fabricação de eletrônicos e outras, além de uma incubadora com 40 startups, um programa de aceleração de empresas e até um parque tecnológico. Com isso, a gente consegue fazer boms testes para ter amplo domínio da tecnologia e ganhar tempo no desenvolvimento das aplicações para o 5G, que vão estar prontas quando a rede estiver disponível para comercialização”, explicou o superintendente de negócios da CERTI, Laercio Aniceto Silva.

No entanto, um dos grandes problemas que a TIM deve enfrentar com o 5G, quando a rede for lançada, é aumentar a cobertura em todo o território nacional, que já é considerada deficitária em algumas regiões e alvo de críticas de usuários, apesar de ser bem ampla – atualmente, a rede 4G da operadora está presente em mais de 3.300 municípios, número que deve chegar a 3.500 até o final deste ano. “Ainda que a TIM já seja líder de cobertura de 4G desde 2014, a cobertura de um país como o Brasil é sempre um grande desafio, principalmente devido à dificuldade em obtermos licenciamento para construir mais torres”, analisou Costanzo.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!