Depois de mais de 45 dias de queda na venda da produção de carne suína, os produtores paranaenses tiveram um fôlego durante esta semana. Na última segunda-feira (11), o preço do quilo pago ao produtor de suínos estava em torno dos R$ 2,10. Agora, no final da semana, o preço passou para R$ 2,70/kg. Esse valor havia chegado a R$ 1,80, influenciado, entre outros fatores, pelo embargo do governo russo imposto à carne brasileira.

Para o presidente da Associação Paranaense dos Suinocultores, Carlos Geesdorf, o mercado teve uma melhora somente com os rumores de que a Rússia pode reabrir a importação. “O desespero dos produtores, provocado pelo embargo do governo russo, levou-os a sair vendendo tudo o que tinham a qualquer preço, reduzindo o retorno financeiro de produção. E agora já está faltando suíno no mercado”, afirma.

Com o preço de R$ 2,70 o quilo, Geesdorf conta que o produtor ganha apenas alguns centavos em cima do custo de produção, mas que é melhor continuar assim do que enfrentar uma perda. “É uma balança ruim de ser equilibrada. Agora pode ser que o preço comece a subir demais, o que pode começar a inibir o consumo, então também tem que cuidar com uma possível alta maior do que o previsto”, afirma.

Leia mais:

Governo ainda não confirma queda de preço após boicote russo

Seab: falta de estrutura e de pessoal atrapalha inspeção veterinária do PR