O indicador mensal de recuperação de crédito, apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) caiu 2,63% em novembro ante o mesmo mês do ano passado.

Também houve queda no volume de quitação de pendências financeiras em atraso no acumulado do ano, de 1,71%. Já em relação outubro deste ano, o número de dívidas regularizadas aumentou 0,79%, sendo que, neste caso, não estão descontados os efeitos sazonais. Para a apuração do indicador, a instituição considera a quantidade de exclusões dos registros de inadimplência do banco de dados do SPC Brasil.

Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, os dados de recuperação de crédito continuam a refletir a falta de dinamismo da atividade econômica ao longo do ano.

Marcela destaca a piora na confiança do consumidor e dos empresários, além da inflação e dos juros em níveis elevados. “Há uma grande dificuldade no pagamento de dívidas e também na regularização daquelas que estão pendentes”, comenta a economista.