A boa infra-estrutura de transportes, boas estradas, qualidade do produto e a proximidade do Porto de Paranaguá estão garantindo um alento aos produtores paranaenses de soja. Os agricultores daqui recebem preços até 41,33% maiores que seus concorrentes de outros estados.

O preço pago ao produtor na praça de Ponta Grossa, por exemplo, chega a R$ 29,00 a saca de 60 kg. No Mato Grosso o preço não passa de R$ 20,52.

A qualidade da soja paranaense é outro fator determinante no maior preço pago ao produtor paranaense. A logística também favorece os nossos produtores, que receberam estradas recuperadas pelo governo estadual para escoar sua produção por Paranaguá. Outra vantagem é ter no Estado indústrias que compram os grãos, o que reduz os custos com transporte e favorece os preços pagos aos produtores.

Esse diferencial de competitividade é ainda mais importante nesse momento de dificuldades econômicas no campo. "Nessa hora de preços baixos e câmbio ruim, as dificuldades dos produtores paranaenses são muito menores que as do Mato Grosso, por exemplo", afirma Margoreth Demarchi, engenheira agrônoma do Departamento de Economia Rural, da Secretaria Estadual da Agricultura.

A vantagem dos produtores paranaenses em relação a preço se verifica também na comparação com os gaúchos. No Rio Grande do Sul, o preço da saca de 60 kg de soja é de R$ 23,64. Na comparação com os produtores de Goiás, o preço obtido pelo produtor paranaense é 32,84% maior. Na praça goiana de Rio Verde o preço é de R$ 21,83.