A construção civil brasileira gerou 46,4 mil empregos com carteira assinada no mês de abril. O resultado representa um acréscimo de 1,41% em relação a março, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP ) em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV). No final do mês passado, o setor empregava 3,343 milhões de trabalhadores.

O crescimento de 1,41% em abril também aponta para uma aceleração no ritmo de criação de vagas no setor, que teve expansão mensal de 1,23% em março e de 1,00% em fevereiro. “O número indica que a construção segue aquecida. Isso deve confirmar nossa previsão de que o setor crescerá acima do PIB neste ano”, afirmou em nota o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe. O sindicato estima que o Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil deva ter alta de 5,2% em 2012, enquanto o governo federal prevê um PIB de 4,0% para o País.

Nos primeiros quatro meses do ano, a construção civil empregou mais 169,7 mil pessoas, o equivalente a um crescimento de 5,35% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado dos últimos 12 meses foram contratadas 255,6 pessoas, uma expansão de 8,28%.

No final de abril, a região Sudeste concentrava 1,688 milhão de trabalhadores da construção civil, seguida pelo Nordeste (715,6 mil), Sul (470,9 mil), Centro-Oeste (270,2 mil) e Norte (198,2 mil). Entre março e abril, a região Centro-Oeste apresentou o melhor crescimento porcentual (3,34%), seguida pelo Sudeste (1,67%), Sul (1,39%) e Nordeste (0,51%). A exceção ficou com o Norte, que teve uma leve queda de 0,05%.