A recuperação começa a chegar ao setor aéreo, ainda que de forma frágil e graças principalmente a descontos por parte das empresas do setor. Ontem, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) apontou que, em julho, a queda no número de passageiros foi de apenas 2,9% em comparação ao ano anterior, em plenas férias de verão na Europa e Estados Unidos e no mês de férias de inverno no Brasil. O volume de carga transportada foi 11,3% abaixo do mesmo período de 2008.

Se os números estão ainda na esfera negativa, a entidade aponta que eles são bem melhores que o que vinha sendo registrado até agora. Em junho, a queda nos níveis de passageiros havia sido de 7,2%, com uma queda de 16,5% no setor de cargas. Comparada com junho, a alta foi de 3% em julho.

Em todo o primeiro semestre, o setor registrou uma queda de 6,8% no volume de passageiros no mundo, em comparação com o mesmo período de 2008. A Iata insiste, no entanto, que a recuperação será “volátil e fraca”. O alerta é que a crise ainda não terminou e que o setor deve fechar o ano ainda com um buraco em suas contas. “A recuperação começou. Mas há boas razões para acreditar que o caminho para uma retomada maior será mais volátil que em recessões passadas”, afirmou a entidade.