A demanda do consumidor por crédito caiu 6,0% em novembro ante outubro, após ter avançado 2,8% no mês anterior, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 08, pela Serasa Experian. Na comparação com novembro do ano passado, houve alta de 8,8%. Mesmo assim, no acumulado de janeiro a novembro a demanda registra queda de 1,6% ante igual período de 2013.

De acordo com os economistas da Serasa, a menor quantidade de dias úteis em novembro em relação a outubro impactou negativamente a demanda do consumidor por crédito durante o mês passado. “Já em relação a novembro de 2013, a ampliação do prazo máximo para a contratação de empréstimos consignados por funcionários públicos e aposentados/pensionista do INSS, anunciada no início de outubro, e a necessidade de renegociação de dívidas para recuperar o acesso ao crédito, aproveitando o pagamento da primeira parcela do 13º salário, podem ter influenciado a maior busca por crédito na sua comparação interanual”, diz a nota.

Em todas as faixas de renda houve recuo da demanda por crédito em novembro ante outubro. A maior retração foi registrada para quem ganha entre R$ 5 mil e R$ 10 mil mensais, com queda de 8,4%, enquanto o recuo mais tímido foi na faixa até R$ 500, com queda de 3,3%. Essa última categoria é a que registra o pior desempenho no acumulado do ano, com queda de 17,7% na procura por crédito.

Na análise por regiões, o Sudeste concentrou a maior queda em novembro: -7,9%. Na sequência aparecem Norte (-6,3%), Sul (-4,5%), Centro-Oeste (-4,3%) e Nordeste (-2,8%). No acumulado do ano, o Centro-Oeste é a única região em que houve crescimento (5,5%). Por outro lado, o Sul lidera o recuo (-4,5%).

O indicador da Serasa de demanda por crédito é obtido a partir de uma amostra significativa de CPFs, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre os consumidores e instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras.