O principal destaque no resultado do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) na terceira quadrissemana de maio ficou com o grupo Saúde e Cuidados Pessoais, que desacelerou de 1,04% na segunda prévia mensal para 0,81% no resultado divulgado nesta quarta-feira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Dentro dessa classe de despesas, o item medicamentos em geral foi o que apresentou maior variação no período, passando de 2,29% para 1,81%.

O único dos oito grupos analisados no IPC-S que apresentou aceleração de preços da quadrissemana encerrada no último dia 15 para a quadrissemana terminada na terça-feira foi o de Habitação, que passou de 0,47% para 0,49%. Contribuíram no período para essa alta o aluguel residencial (de 0,55% para 0,62%), a tarifa de energia elétrica residencial (de 1,23% para 1,38%) e a mão de obra para reparo de residência (de 1,16% para 1,56%).

Despesas Diversas (de 4,12% para 3,96%), Alimentação (de 0,53% para 0,48%), Transportes (de 0,21% para 0,17%), Vestuário (de 0,53% para 0,44%), Comunicação (de -0,21% para -0,27%) e Educação, Leitura e Recreação (de 0,15% para 0,11%) também registraram taxas menores na terceira quadrissemana de maio.

Entre os itens que fazem parte desses grupos, destaque para cigarros (de 10,42% para 9,95%), laticínios (de 0,98% para 0,54%), automóvel zero-quilômetro (de -0,07% para -0,22%), acessórios de vestuário (de 1,17% para 0,02%), tarifa de telefone residencial (de -0,48% para -0,76%) e excursão e tour (de -0,18% para -1,08%).