Subiu para 32 o número de empresas fornecedoras que estão em bloqueio cautelar e, portanto, impedidas de firmar novos contratos e participar de licitações da Petrobras, informou nesta quarta-feira, 2, o diretor de Governança, Risco e Conformidade da estatal, João Elek. Na esteira das investigações da operação Lava Jato, a Petrobras anunciou, no fim do ano passado, a lista com 23 empresas impedidas.

“Estou com 32 empresas”, disse Elek, após participar de seminário sobre compliance na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), no Rio. Perguntado sobre a possibilidade de tirar da lista a Queiroz Galvão Óleo e Gás, empresa prestadora de serviços de apoio para exploração de petróleo da empreiteira, que teria tido um processo suspenso na CGU, Elek disse que o caso seria analisado: “Pode ser que vire 31 (empresas)”.

O diretor da Petrobras comentou ainda que a companhia está fazendo auditorias nos contratos com seus fornecedores. “Todas as empresas vão passar por isso. 90% do que eu contrato está passando por esse processo”, afirmou Elek.