O chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC), Altamir Lopes, informou nesta quarta-feira (27) que o superávit primário (diferença entre receitas e despesas, excluindo o pagamento de juros) de R$ 9,295 bilhões do setor público (governo Central, governos regionais e estatais) em maio foi o melhor para o mês desde o início da série do BC, em 1991.

Segundo Altamir, a redução em relação a abril já era esperada porque o mês anterior sazonalmente tem resultados mais fortes por conta de fatores que elevam a arrecadação, entre eles o pagamento do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ). "O resultado de maio sazonalmente veio mais baixo, mas não deixa de ser bom", disse.

Ele informou ainda que os governos regionais também tiveram melhor resultado primário para o mês de maio na série do BC, puxados pelos Estados, que também registraram saldo recorde refletindo melhorias na arrecadação. Segundo o chefe do Depec, o superávit de R$ 1 bilhão das estatais federais também foi recorde para meses de maio.

Outro patamar histórico está no superávit primário acumulado no ano, que, com R$ 60,027 bilhões (6% do PIB) foi o melhor para o período em toda a série do BC.

Eleições

A aproximação das eleições municipais de 2008 já começa a se refletir nos números das contas das cidades. Segundo Altamir Lopes, o déficit primário de R$ 116 milhões registrado pelos governos municipais em maio foi o pior resultado da série para o mês.

"Provavelmente, os municípios começaram a gastar mais, antecipando despesas porque teremos eleições no ano que vem", afirmou.