O trabalhador começa a sentir os efeitos positivos da recuperação da indústria nos últimos meses, segundo o boletim “Indicadores Industriais” divulgado ontem pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). A pesquisa mostra que a massa real dos salários do setor produtivo avançou 0,85% em março na comparação com fevereiro, já descontados os efeitos sazonais. Nos últimos 12 meses terminados em março, houve variação positiva em 10 meses e a alta acumulada alcançou 8,65%.

A reação dos salários reflete um tímido aquecimento do mercado de trabalho. O número de empregados da indústria cresceu 0,53% em março sobre fevereiro.

No primeiro trimestre, a alta acumulada foi de 0,48% na comparação com os últimos três meses de 2003. É o segundo trimestre consecutivo de crescimento do contingente dos trabalhadores da indústria.

O leve aquecimento do mercado de trabalho tem sido influenciado pelo aumento das vendas e da produção da indústria. Segundo a CNI, as vendas reais cresceram 3,45% em março na comparação com fevereiro. Já o índice de utilização da capacidade subiu de 80,5% para 81,3%.

A CNI acredita que os dados “sinalizam a continuidade da trajetória de recuperação, embora lenta e gradual, da atividade industrial”.