A produção paranaense de grãos deve chegar a 22,69 milhões de toneladas na safra 2008/2009, um crescimento de 2,7% em relação à safra 07/08, quando foram colhidas 22,08 milhões de toneladas de grãos de verão.

O levantamento foi feito pelo Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, e foi apresentado ontem pelo secretário Valter Bianchini.

O aumento da produção de feijão é a aposta da Seab. Ontem, durante a divulgação da primeira projeção para a próxima safra de verão, o órgão confirmou o excelente desempenho do Paraná e ratificou a expectativa de novamente ultrapassar a marca de 30 milhões de toneladas para a próxima produção.

Bianchini ressaltou o bom desempenho da agricultura na safra 07/08, cuja produção ultrapassou a marca de 28 milhões de toneladas, “fora as três milhões de toneladas de trigo que começam a ser colhidas neste mês”, afirma.

Ele prevê um acréscimo de 41,7% na produção de feijão, devendo passar de 429,77 mil toneladas na safra 07/08 para 608,82, no primeiro semestre do próximo ano.

Para o superintendente da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) no Paraná Lafaiete Jacomel, o aumento da produção de feijão é esperado devido ao aumento do preço mínimo do produto, de R$ 48 a saca de 60 quilos para R$ 80, o que estava previsto pelo plano safra do governo federal.

“A intenção é estimular a produção de feijão e do milho, que também teve alta no preço mínimo, para que tenhamos o volume necessário para atender a demanda.”

Segundo Jacomel, o aumento do preço mínimo e da produção de feijão deve beneficiar os pequenos produtores que, segundo ele, são responsáveis pela maior parte da produção. “O segundo foco do governo é incrementar a renda desses pequenos produtores”, diz.

Francisco Carlos Simioni, diretor do Deral, explica que o aumento do preço mínimo do feijão não deve refletir no bolso do consumidor. Pelo contrário, para ele o aumento da produção deve reduzir o preço do produto nas prateleiras. “Isso representa uma maior oferta e, com isso, a tendência é que haja uma redução de preços para o consumidor final.”

De acordo com a estimativa da Seab, a área plantada deverá alcançar 5,68 milhões de hectares, uma leve alta de 0,6% em relação à área cultivada no ano passado que foi de 5,64 milhões de hectares.

Embora a área cultivada no Paraná não mude muito porque estão esgotadas todas as fronteiras agrícolas, o plantio de soja deverá aumentar de 3,92 milhões de hectares ocupados na safra 2007/08 para 3,97 milhões de hectares na safra 2008/09. O cultivo de soja avança sobre área de plantio de milho.

A produção esperada com soja é 7,9% maior que o ano passado, devendo passar de 11,72 milhões de toneladas colhidas na safra passada para uma média de 12,69 milhões de toneladas.