O secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura Inácio Afonso Kroetz, informou que veterinários do Brasil e da Rússia farão, em agosto ou setembro, uma análise do risco de incidência de tuberculose bovina em fazendas do Brasil. A inspeção foi acertada durante reuniões entre Kroetz e o vice-diretor do Serviço Federal de Supervisão Veterinária e Fitossanitária da Federação da Rússia, Evgueni Nepoklonov. O brasileiro viajou para Moscou no começo desta semana.

Nos encontros, o secretário pediu aos russos que reavaliem a situação do Porto Ponta do Felix, em Antonina, no Paraná. Os russos proibiram as importações de carne brasileira a partir desse porto. Nepoklonov reiterou que o Paraná continua não habilitado e que deverá reavaliar as medidas restritivas só com "o decurso do tempo". No entanto, cargas de carnes em contêineres fechados estão autorizadas a embarcar pelos portos do Paraná.

Sobre a reabilitação de exportação, o secretário afirmou que todos os esforços foram feitos. O secretário espera ainda a posição do governo russo para que mais Estados voltem a exportar. "Foram apresentados fartos materiais em documentos na tentativa de incluir Santa Catarina, Pará e Paraná na zona habilitada a exportar carne bovina e suína para a Federação da Rússia. Os documentos serão ainda analisados pelos especialistas russos antes de uma decisão final", afirmou Kroetz.