O Brasil precisa de uma estratégia de desenvolvimento agrícola se quiser aproveitar as grandes oportunidades que se abrem no mercado mundial para o agronegócio, alertou o ex-ministro da Agricultura e diretor do núcleo de agronegócios da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Roberto Rodrigues. Segundo ele, o cenário mundial é "extremamente positivo", porque a população aumentará em dois bilhões de pessoas em 25 anos e, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Agricultura (FAO), nos próximos 20 anos a oferta internacional de grãos terá de crescer 42%, e a de carne precisará aumentar mais de 40% para atender à demanda.

Segundo ele, a agricultura no Brasil chegou a um nível de eficiência tão elevado que o País está ampliando as exportações, mesmo sem avançar na redução do protecionismo aos produtos cultivados aqui, no mercado internacional – mas os produtores ainda são prejudicados pelos problemas de logística, infra-estrutura, câmbio e juros. "É uma estratégia de desenvolvimento, que não temos", disse Rodrigues. Ele participa de seminário realizado pela Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), no Rio. O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, também é esperado no evento.