Os dados da Pesquisa Mensal do Emprego (PME) de julho na comparação com o mesmo mês do ano passado foram considerados "extremamente positivos" pelo gerente da área no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Cimar Azeredo, embora na comparação com junho deste ano não tenham confirmado as expectativas positivas. Ele comentou que "em um ano entraram no mercado de trabalho 603 mil pessoas e o desemprego se reduziu em 255 mil pessoas".

A taxa de desemprego aberto caiu de 10,5% da população economicamente ativa em julho do ano passado para 9,5% em julho deste ano. O rendimento médio real dos trabalhadores ocupados aumentou 2,5% no mês passado em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 1.108,30.

Cimar destacou também que o número de empregados com carteira de trabalho assinada aumentou em 437 mil pessoas, um crescimento de 5,2%, superior, em termos proporcionais ao da população ocupada, que foi de 3,0%. De acordo com ele, isso é positivo porque mostra aumento da qualidade de emprego.

Rendimento real

O rendimento médio real dos trabalhadores ocupados em julho, de R$ 1.108, ainda é inferior em mais de 10% ao de julho de 2002 que, a preços corrigidos, seria de R$ 1.233, informou o IBGE. "Nos últimos 24 meses, a tendência é de alta do rendimento médio real", disse Cimar Azeredo. Ele mostrou que a renda média real nos sete primeiros meses deste ano ficou em R$ 1.118, cerca de 4% acima da média do mesmo período do ano passado, que ficou em R$ 1.073.