O rendimento médio real dos ocupados na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) aumentou para R$ 1.941 em maio, alta de 0,7% ante abril, mostra Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada nesta quarta-feira, 29, pela Fundação Seade e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A renda média real dos assalariados, por sua vez, também cresceu no quinto mês do ano, para R$ 1.945, avanço de 0,2% em relação ao mês anterior.

De acordo com o Seade e o Dieese, na passagem de abril para maio, a massa de rendimentos também cresceu: a dos ocupados subiu 1%, enquanto a dos assalariados aumentou 0,5%. No caso dos ocupados, a entidade explica que o crescimento foi motivado, principalmente, pelo aumento do rendimento médio real. Já no segundo caso, o aumento foi decorrente das variações positivas do nível de emprego e do salário médio real.

Diferente do comportamento na margem, na comparação com maio de 2014, os rendimentos médios reais tanto de ocupados (-6,5%) quanto de assalariados (-5,4%) caíram. Com isso, as massas de rendimentos também recuaram na variação anual: a dos ocupados recuou 6,6%, enquanto a dos assalariados tombou 4%. No primeiro caso, o Seade explica que a queda ocorreu devido ao decréscimo do rendimento médio real e, para os assalariados, por conta da redução do salário médio, uma vez que aumentou o nível de emprego.