As remessas de lucros e dividendos registra um crescimento de 31% neste ano até julho, em relação ao mesmo período do ano passado, somando US$ 15,317 bilhões. Em julho, as remessas totalizaram US$ 1,215 bilhão, o que mostrou um comportamento moderado, segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel. “Parte da moderação é explicada pela entrada de lucros e dividendos. Olhando apenas despesas, não houve crescimento expressivo, ao contrário do que observamos no início do ano”, destacou. Segundo ele, é possível que o resultado venha a arrefecer nos próximos meses por causa da valorização do dólar.

Fluxo cambial

O fluxo cambial do mês de agosto até o dia 21 está negativo em US$ 1,069 bilhão. As operações financeiras responderam por uma saída líquida de US$ 899 milhões, diferença entre entradas de US$ 24,325 bilhões e saídas de US$ 25,224 bilhões. No comércio exterior, o saldo está negativo em US$ 170 milhões, com importações de US$ 12,151 bilhões e exportações de US$ 11,981 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 1,985 bilhão em ACC, US$ 3,010 bilhões em PA e US$ 6,986 bilhões em outras entradas. A posição dos bancos no mercado de câmbio é comprada em US$ 682 milhões. No final de julho, estavam comprados em US$ 1,675 bilhão.

O BC informou ainda que o investimento externo em ações no País está positivo em US$ 800 milhões em agosto até dia 21 e o investimento externo em renda fixa está positivo em US$ 3,1 bilhões.