O Banco da Inglaterra (BoE) deve fornecer novos estímulos para a economia do Reino Unido e limitar a desaceleração causada pela decisão do eleitorado de sair da União Europeia, afirmou hoje a vice-presidente da instituição, Minouche Shafik.

Em junho, o BoE já havia lançado mão de cortes de juros e de um novo programa de compra de ativos para apaziguar os temores resultantes da decisão pelo sim no plebiscito. No entanto, os dirigentes têm sinalizado que precisam fazer mais para amenizar o enfraquecimento da economia.

“Me parece que novos estímulos monetários serão necessários, em algum ponto, para assegurar que a atividade não se torne algo pernicioso”, disse Minouche em um evento em Londres.

Os dados econômicos mais recentes têm sido mistos, com uma série de levantamentos sugerindo que a quinta maior economia do mundo pode estar se recuperando do deslize inicial após a votação.

Apesar disso, “não tenho dúvidas de que o Reino Unido está vivenciando um choque econômico importante”, afirmou a dirigente. “Qualquer redução na abertura ou a necessidade de realocar recursos irá necessariamente implicar em uma queda do crescimento potencial da economia”. Fonte: Dow Jones Newswires.