A menos de dois dias do final do prazo para entrega da declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2010, referente ao ano-base de 2009, o número de paranaenses que não prestou contas com a Receita Federal ainda é grande. Até ontem à tarde, o órgão continuava esperando receber mais de 400 mil declarações.

A recomendação é para que as pessoas evitem deixar para amanhã, já que há possibilidade de congestionamentos nos servidores da Receita. E se ainda há necessidade de um contador, o ideal é procurá-los hoje: amanhã muitos nem aceitarão novos serviços.

O prazo final para a entrega vence às 23h59 de amanhã. É esperado que um total de aproximadamente 1,585 milhão de contribuintes do Estado declarem o IRPF, este ano.

A proporção de contribuintes que já entregaram suas declarações em relação ao total esperado é menor no Paraná, em comparação com os números do País. Enquanto, no Estado, mais de 26% das pessoas ainda não tinham prestado contas até o final da tarde de ontem, no Brasil faltam menos de 24% das declarações. A porcentagem corresponde a aproximadamente 6 milhões de pessoas, de um total esperado de 24 milhões de prestações de contas.

Na última semana de prazo, as entregas vêm acontecendo em um ritmo rápido. Na última quinta-feira (22), faltavam ser entregues cerca de 830 mil prestações de contas dos paranaenses, e 12 milhões em todo o País. Como cerca de metade desse número foi entregue até ontem, a previsão é de que os servidores de rede da Receita trabalhem intensamente a partir de hoje.

Conexão

“Ainda faltam muitas declarações [a serem entregues]. Não tenha dúvida que haverá congestionamento”, afirma o presidente da Fenacon (Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis), o paranaense Valdir Pietrobon.

Mas ele adverte que nem só possíveis falhas na conexão com a Receita podem atrapalhar os contribuintes até amanhã. “A pressa no preenchimento pode causar erros”, ressalta.

E é justamente para evitar erros e problemas de conexão no envio das declarações, que muitos contadores evitam aceitar trabalhos no último dia de prazo.

“É melhor do que se comprometer e depois não conseguir entregar”, explica Pietrobon. Mas ele tranquiliza os contribuintes, lembrando que, para grande parte deles, prestar as contas com o Leão não é nenhum bicho de sete cabeças.

“Não é difícil, desde que se tenha toda a documentação. Quem tem só uma fonte de renda, uma residência, um carro e está com os documentos organizados, preenche em minutos”, diz.

Exemplos de declarações mais complexas, segundo ele, são os de profissionais liberais, como médicos e dentistas, ou de pessoas que possuem muitos imóveis alugados.

Se tomadas as devidas atenções na hora do preenchimento e “desde que as pessoas não inventem nada”, Pietrobon diz que a chance do contribuinte cair na malha fina é pequena.

“A grande maioria dos dados que a gente informa já estão com a Receita. Com o passar do tempo, receberemos a declaração pronta e só teremos que confirmar”, prevê. Ainda assim, em caso de dúvidas, ele lembra que, ao menos até hoje, ainda dá tempo de procurar um contador.