Diante da atenção que os mercados darão às ações da China após a abertura no país nesta quinta-feira (hora local), “os investidores devem estar preparados para que o recente ajuste no mercado de ações persista por mais alguns meses”, afirmou em nota o estrategista-chefe da corretora SMBC Nikko, Chotaro Morita.

Na avaliação de Morita, considerando-se que o boom anterior no mercado de ações da China foi muito mais breve que o do Japão nos anos 1980, a queda entre as ações chinesas pode assumir feição similar ao estouro da bolha da Nasdaq em 2000, quando as ações caíram 40% em um mês e depois tiveram ganhos moderados durante quatro meses, mas então voltaram a cair ao longo de um semestre, até ficarem 70% abaixo de seu pico.

As ações chinesas, tanto em Xangai quanto em Shenzhen, estão agora 40% abaixo de seu pico, perto de sua média móvel dos últimos 200 dias, o que sugere que o ajuste está em andamento. Não está claro, porém, se as análises técnicas têm significado nesse caso, em um mercado em grande medida controlado pelas autoridades, que adotaram uma série de medidas para conter o movimento de baixa nas ações. Fonte: Dow Jones Newswires.