Brasília – O PT vai aprovar, no fim de semana, uma resolução que defende e justifica a política econômica adotada pelo governo, com o argumento de que o aumento da taxa de juros é a única forma, neste momento, de combater a alta da inflação e garantir a estabilidade. A resolução foi redigida pela cúpula do partido e será apresentada na reunião do diretório nacional petista, amanhã e domingo, em São Paulo. Trata-se de uma guinada na história do PT que, nos seus 23 anos, sempre se posicionou contra a elevação dos juros.

No Palácio do Planalto, o comentário é de que, com a resolução, os radicais do partido terão de se enquadrar e parar de atormentar o ministro da Fazenda, Antônio Palocci Filho. Na prática, o texto prepara terreno para um possível novo aumento da taxa básica de juros na reunião do Conselho de Política Monetária (Copom), marcada para a próxima semana.

O documento passará pelo crivo do diretório, mas já se sabe que será aprovado, apesar da oposição das facções consideradas rebeldes. Motivo: os moderados são maioria e as alas radicais, juntas, representam cerca de 33% na correlação de forças do PT.

A resolução que promete causar polêmica no encontro também apóia as propostas de reformas tributária e da Previdência, além do projeto que abre espaço para a autonomia do Banco Central, avalizado anteontem pela bancada petista na Câmara depois de muito bate-boca. Mais: destaca que o governo deve adotar uma política de desenvolvimento para gerar empregos e enfrentar a inflação.