A Petrobras Biocombustível informou nesta quinta-feira, 15, que a safra de mamona pode apresentar ganho de produtividade acima de 30% “quando aplicadas as técnicas adequadas, respeitando as características de clima, de solo e a tradição de cultivo de cada localidade”. O dado consta de pesquisa realizada pelos oito núcleos de Unidades de Teste e Demonstração (UTDs) da empresa para acompanhar a safra do produto. Os centros ficam nos Estados da Bahia e do Ceará. A mamona é uma oleaginosa empregada como matéria prima para produção de biodiesel.

Por meio de comunicado, a Petrobras Biocombustível destaca que cada núcleo de UTD é composto de 21 unidades demonstrativas, sendo uma matriz e 20 filiais instaladas em pequenas propriedades rurais, onde são testadas diferentes tecnologias para o cultivo da mamoneira no semiárido. A primeira safra analisada pelas UTDs foi a 2013/14. A expectativa da companhia é instalar 966 unidades nos Estados da Bahia, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco e Piauí até a safra 2016/17 para a “difusão desse conhecimento aos produtores de mamona do semiárido”.