enkontra.com
Fechar busca

Economia

Produtores de cebola analisam comercialização

  • Por Redação O Estado Do Paraná
Organização para melhorar a vida do produtor.

Produtores de cebola de 20 municípios do Estado, se reúnem hoje em Irati, região Centro-sul do Estado, para discutir a organização da produção para venda. O encontro acontecerá na comunidade Pinho de Baixo. São esperados 600 produtores e familiares.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Emater, Iniberto Hamerschmidt, que coordena a cultura da cebola no Estado, o objetivo do encontro é reunir cerca de 10% dos agricultores dedicados à cultura no Paraná e discutir principalmente a organização dos produtores. “Hoje os produtores não se organizam e fazem a comercialização via intermediários, que muitas vezes dão calote nos agricultores”, explica Hamerschmidt. Os produtores também irão decidir sobre a criação de uma associação paranaense de produtores de cebola.

O encontro já acontece no Estado há treze anos. A promoção é do Governo do Paraná, Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Emater, Paraná 12 Meses, prefeitura de Irati e Associação dos Produtores Rurais de Pinho de Baixo com apoio do CREA-PR e Associação dos Engenheiros Agrônomos de Irati.

A cebola é uma das principais atividades econômicas de Irati, correspondendo a 21% da produção do Estado. Na comunidade Pinho de Baixo são 500 hectares lavouras de cebola e 100 famílias de produtores envolvidas na atividade. Juntos, eles têm buscado melhorar a qualidade da produção. A cultura é conduzida com irrigação, sementes selecionadas, espaçamento e densidade e plantio corretos. A assistência técnica é de responsabilidade da Emater. A produtividade média na última safra tem sido de 25 mil quilos por hectare. Em algumas propriedades, o número chegou a 42 mil quilos por hectare.

Novidade

Na última safra, 40 produtores da comunidade Pinho de Baixo adotaram o plantio da semente de cebola no lugar das mudas pela primeira vez. A medida melhora a qualidade do produto final e diminui o tempo para a colheita. Outra vantagem é a redução de mão-de-obra para o plantio, já que todo o serviço é feito por uma máquina semeadeira. A máquina faz o plantio sobre a palha, o que reduz os riscos de erosão do solo e ainda, o custo de produção. O produtor José Aírton Cosmo acha que a redução vai ficar entre 25% e 30%. O custo de produção da cebola está hoje em R$ 0,22 por quilo e o valor recebido em R$ 0,70. Para Cosmo a atividade compensa porque garante boa renda em uma pequena área cultivada.

No Paraná, foram plantados 6,11 mil hectares na safra 2002/2003. A colheita somou 51,37 mil toneladas e a produtividade ficou em 8,4 mil quilos por hectare. Segundo Hamerschmidt houve quebra de 30% na safra devido ao excesso de chuva no final do ano passado. Os principais municípios paranaense produtores são Curitiba e região (60%), Irati (21%), Jacarezinho (6%), Guarapuava (4%), Pato Branco (3%) e outros da região Centro-Sul (6%).

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas